Episódio da viagem

gordinho

                 O ônibus executivo viajava apenas com sessenta por cento de sua lotação. Passageiros bem vestidos e educados. Viagem tranquila, estrada relativamente boa, a temperatura ambiente em torno de vinte e oito graus. As cortinas e a vedação das janelas favoreciam para o ambiente ficar agradável. Uns mais agasalhados, alguns dormindo, outros conversando baixinho quando não olhando pela janela a vegetação da estrada ou fitando o céu que ora escondia o sol com nuvens pesadas e ora o apresentava muito forte.

                   Tudo as mil maravilhas, até que um cheiro desagradável contamina o ambiente. As meninas que vinham no banco da frente se entreolham e riam como perguntando quem foi o responsável do feito? O casal que vinha um pouco atrás disfarça discretamente ponto a mão no nariz. A magrinha de ventre delgado com certeza estava isenta de suspeita. Parecia alimentar-se só de rosas, portanto seus gases deveriam ser perfumados. A senhora octogenária também não era a responsável, sua alimentação deveria ser saudável em virtude da idade. Não cometeria tal estrago.

                O gordinho brincava com o celular como se nada de anormal tivesse acontecido. Não colocou a mão no nariz, não franziu a testa, nem trocou olhares indagadores para saber quem seria o dono do mau cheiro. Ao arriscar um olhar para o ambiente percebe que todos estavam voltados para ele. Como se apontassem o dedo indicador para sua direção dizendo: foi você.

              Com a mesma “cara feliz” comum a todos os gordinhos, retoma seu joguinho no celular. Ao arriscar a segunda olhada para a platéia, observa um cara malhado, que usava uma camiseta bem rasgada exibindo seus músculos avantajados, aproximar-se de sua poltrona em passos lentos com o jeito de quem iria agarrar-lhe pelo pescoço e jogar-lhe pela janela com todo o fedor que tinha produzido.

             Levantou-se rapidamente assustado, colocou as mãos para cima e disse:

              –  Juro que não fui eu. Comi feijoada antes de ontem e ovo com salada de repolho segunda – feira. Hoje é quarta.

Do Livro Vou te Contar
Maria Dilma Ponte de Brito
Cadeira 28 da APAL
Patrono Lívio Lopes Cstelo Branco
1º Ocupante Humbert Tels Machado de Soua

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s