A extensão da dúvida.

no igaraçu23

 

*Nailton Rodrigues.

 

Eu estou aqui. Como sempre estive.

Como sempre fui. Cá sou. Como sempre canto. Como ao canto vou.

Como vi e li, como lhe vi lá. Como não conti-me. Como fui gritar?

Eu estou aqui. Como sempre estive.

Sendo observador no mesmo instante que perco muitas coisas da vista.

Cá estou. Cá estive, cá estarei. Odiando o imprevisível.

Convencendo-me de que o mesmo é inevitável. Namorando só, o casal admirável.

Eu estou aqui. Como sempre estive. A me arrepender. Cá estou. Cá vou padecer. Cá me conheci. Cá me convenci. De que vou morrer.

Eu estou aqui. Como sempre estive. Como cá estou. Cá não vens me ter.

Cá te vejo ao longe. Cá não quero ter.

Estou aqui e aqui estarei. Estou aqui hoje, bem mais que ontem. Estarei aqui amanhã, bem mais que hoje. Bem mais que hoje estarei.

Eu estou aqui. Mas onde está, oh! Aqui? Sei que estou aqui, mas cá entre nós, desconheço onde estou.

 

 

 

 

 

 

 

 

pessoas-caminhando-rua

O duro estímulo.

 

Inverteu-se tudo.

O que era doce, amarga-me os lábios.

O que aparentou ser reluzente, era fosco!

O que punia, tornou-se consolo.

O que aconteceu?

Como o escuro brilhou sobressaindo a luz que cegava os homens?

Como ficará a zebra e sua indecisão?

És preto e branco ou branco e preto?

Ora, pois, és irrelevante!

Agarra-te ao crânio teu

Encoste os joelhos no cansado seio

Pranta em voz alta, pranta!

Põe para fora teu desgosto, miserável!

Nada que fizeste te dará descanso.

Só acaba, quando enfim termina.

Não quis tu mesmo ir ao labirinto?

Como clama para sair?

Não sabia que seu “gran’porque” custava sua paz?

Quis o muito, sem a muita cobrança?

Ha ha! Descobriu que és tu o sumo credor?

Pranta, velho jovem, pranta!

Não sei e estão certos em dizer que

O choro lava a alma, mas sei que seu pranto alivia.

Ô se alivia!

 

*Nailton da Silva Rodrigues, estudante do curso de História no Campus Alexandre Alves de Oliveira, UESPI, Parnaíba. Em 2016 como estudante do ensino médio, na Unidade Escolar Edison da Paz Cunha, foi medalhista de prata na Olimpíada Brasileira de Língua Portuguesa. nailton

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s