In Poemoriam(*), por Claucio Ciarlini

Sepultaram o meu poema
Não mais está entre nós
Soterrado que foi, lamento
Debaixo de mil caracteres
De outros muitos assuntos
Nem piores e nem melhores
Palavras, fotos, elogios, tantos…

Sepultaram o meu poema
Agora há pouco respirava
Mas vida em internet corre
Ingrata, nem bem agradece
A alma do poeta é que padece
Vendo a sua cria evaporar
Vem outro e toma o lugar

Sepultaram o meu poema
Fica difícil até de protestar
É que me encontro num dilema
Entre o coexistir e o reclamar
No que geralmente me calo
Mas há o dia de encarar os medos
E o desabafo escorrer pelos dedos…

Sepultaram o meu poema
Porém das cinzas construí este aqui.

Claucio Ciarlini (2021)

(*) Dedicado a todos que sofrem ou já sofreram nos vários grupos de WhatsApp com estas lamentáveis, porém inevitáveis, ocorrências.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s