ALÉM DO BRASIL – PARTE I

MARIA DILMA PONTE DE BRITO
ACADEMIA PARNAIBANA DE LETRAS APAL
PATRONO LÍVIO LOPES CASTELO BRANCO
1º OCUPANTE HUMBERTO TELES MACHADO DE SOUSA

O Brasil é um país tropical abençoado por Deus e bonito por natureza, como dizia Jorge Bem Jor. Quem é daqui gosto de reclamar mas quem vem de fora quer ficar. Rico de belezas naturais, de potencial energético e agrícola, tem um carnaval único, um futebol de craques, povo hospitaleiro e animado. Aqui o nosso céu tem mais estrelas e o sol mais esplendor. A mão de Deus abençoou.

Das vinte e sete unidades federativas, conheço vinte e uma e cada qual tem seus encantos, suas belezas e suas maravilhas. Está na minha agenda conhecer o Acre, Rondônia, Tocantins, Roraima, Mato Grosso do Sul e Mato Grosso para fechar o território brasileiro.

Pretendo fazer um relato das minhas aventuras por esse Brasil a fora, mas nesse texto, vou além do meu torrão verde e amarelo, recordando viagens que fiz fora dele. Foram bons momento que merecem uma retrospectiva.   

         BUENOS AYRES (ARGENTINA) – Janeiro 2007. Essa foi uma viagem familiar. Quatro irmão com seus respectivos pares. Nos divertimos bastante e visitamos muitos pontos turísticos. 

A Casa Rosada sede da Presidência da Argentina nessa época estava em reforma, mesmo assim registramos com fotografias nossa presença no local e também na Plaza de Mayo que fica no coração político de Buenos Ayres. Lá é o palco das manifestações, inclusive das mães que tiveram seus filhos assassinados ou desaparecidos durante a ditadura militar 1976 a 1983. Encontramos na praça duas parnaibanas: a professora Maria do Rosário Pessoa (confreira/APAL) e a advogada Maria das Graças Quixadá (in memoriam) fazendo turismo como nós. Quanto alegria!

Amei a rua-museu a céu aberto Carminito com uma variedade de souvenis, música e muita animação no local. Passeamos pelas ruas do Puerdo Madero, visitamos o estádio Boca Junior, o Cemitério Recoleta e o túmulo de Evita Peron. Oramos agradecendo os bons momentos na Basílica da Nuestra Senora do Pilar. Evidente que aparecíamos as belezas do tango no Senor Tango, passamos momentos agradáveis na estancia Susana deliciando a culinária argentina e observando os costumes local. O luxuoso Cassino Flutuante Puerto Madeiro é um lugar imperdível, fica a margem do rio da Plata, cartão postal da cidade. E como não podia deixar de ser jogamos para completar a visita.

No álbum de fotografias encontrei ainda nossos presenças no Obelisco 9 de julho, nas Galerias Pacíficos, no Café Victória e em outros pontos turísticos da cidade.   

          MONTEVIDÉU (URUGUAI) – Dezembro 2011. Chegamos na capital Uruguaiana quase véspera da virada do ano. Na noite de 30 de dezembro desembarcamos no Aeroporto de Carrasco por volta das 23.00horas. A cidade é agradabilíssima. Está localizada as margens do Rio De La Plata e tem excelente qualidade de vida.

Meu esposo e eu ficamos hóspede do Balmoral Plaza Hotel. Na manhã seguinte visitamos alguns pontos turísticos da cidade e almoçamos no shopping Punta Carretas. Na parte da tarde nos encontramos com o grupo de parnaibanos amigos que já se encontravam lá e fizemos um tour, passando pela Praça da Independência, o Palácio Legislativo, Teatro Solis, Estádio Centenário, Monumento La Carretona, Monumento aos Constituintes e outros cartões postais da cidade.

Retornamos ao hotel. A noite tínhamos compromisso com a festa da virada do ano, o Réveillon. Convém frisar que os costumes do último dia do ano em Montevidéu tem suas peculiaridades. As ruas ficam cheias de papel picados jogados pelas janelas dos prédios uma forma de se despedir do ano velho. O 31 de dezembro é um dia atípico porque os taxistas não trabalham dificultando a locomoção dos turistas.

Passamos a mudança de ano Sheraton Montevidéu Hotel. Ambiente decorado para ceia que foi previamente organizada para um número determinados de pessoas e tudo estava fino e elegante. O cardápio variado e servido de tempo em tempo com valor já incluso no ato da reserva, assim como também quatro shows apresentados enquanto se esperava o 2012 que foi recebida com fogos, champanhe e muita alegria.

Depois ceia, carnaval, brindes e muita comemoração. Os parnaibanos se confraternizaram com entusiasmo e curtiram cada momento dessa noite clamorosa. No outro dia fomos conhecer a Colônia do Sacramento, Patrimônio Cultural da Humanidade. Curtimos ainda a noite com os amigos e no dia seguinte fomos para Punta Del Este, fazendo antes uma parada em Piriápolis. Cidade praiana simpática e elegante com muitos atrativos, porto, cassinos, etc.

Punta Del Este está entre os dez balneários de luxo mais famosos do mundo. Agrada também os turistas pelas suas gastronomia e me fez lembrar a Pedra do Sal porque também tem dois tipos de praia a banhada pelo oceano e a banhada pelo Rio De La Plata.

O famoso monumento do “Los Dedos” é um ponto muito visitado e fotografado. É uma escultura do artista plástico chinelo Mário Irrazabal projetado em 1982, símbolo do local. Representa o homem surgindo para a vida. Lá visitamos o Casino Conrad com seus grandiosos atrativos.

Retornamos desse maravilhoso passeio ao final da tarde em tempo de participarmos do Show El Milongor que reúne, folclore, tango e musical. Visitamos museus, feira de antiguidade, igrejas, etc. A viagem foi maravilhosa, Montevidéu é um lugar lindo, agradável, de boa comunicação e de custo de vida razoável.

Algumas curiosidades sobre Montevidéu. Os táxis eram de cor preta e havia um blindex separando o motorista do passageiro o que dificultava a comunicação. O ideal para o tempo de pandemia como estamos passando agora. Outra coisa interessante é que circulam muitos carros antigos de modelos excêntricos na capital. Observei ainda vários cemitérios de carros sucateados pelas ruas e principalmente na Colunia Zuiza do Uruguai. Na estrada que leva para Punta Del Leste também se vê bastante. Por outro lado vimos alguns modelos modernos e diferentes para dois passageiros. Lá o sol só se põe depois das 19.00horas, os dias ficam mais longos. A população dos idosos é considerável e demonstram qualidade de vida circulando nas praias, nos shoppings com muita destreza. As divisões territoriais no Uruguai são chamados de departamentos assim como no Brasil são os estados.

  Retornamos no 04 de janeiro de 2012 com as energias recarregada após um excelente início de ano.  Viajar é preciso. Dizem que “viajar é trocar a roupada alma”. E outros recomendam: “Não guarde rancor e sim dinheiro para viajar”. E tem ainda quem diga e eu concordo que: “melhor que viajar e conhecer novos lugares e poder compartilhar estes grandes momentos com os amigos”.    

O objetivo também desse relato é deixar registrado esses momentos de forma segura, salvo de insetos, cupins por exemplo. A memória também falha e aqui ele está guardado, resguardado até de um vírus no computador porque está on line.   

PORTUGAL (LISBOA), ITÁLIA (ROMA, VENEZA, MILÃO, FLORENÇA, VERONA), SUÍÇA (LUCERNA E ZURIQUE), FRANÇA (PARIS) – Outubro de 2013 – Próximo capítulo. Aguardem.

2 comentários sobre “ALÉM DO BRASIL – PARTE I

  1. O mundo todo, inclusive os desertos da Patagônia e Saara, é muito bonito. Está escrito que todo o que DEUS FEZ É BOM, o problema é que Ele colocou aqui cada inquilino que nem com “Ele na causa”. Descunjuro, vôte! Ó raça ruim da muzenga!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s