UMA FESTA DE ANIVERSÁRIO NO CÉU

JEANETE
Por Antonio Gallas
O céu hoje engalana-se para homenagear uma pessoa muito querida que lá já reside desde setembro 1996. Uma pessoa que durante sua passagem por esta vida terrena dedicou-se exclusivamente a AMAR e fazer o bem ao seu semelhante.

E qual a razão do céu estar engalanado para homenagear essa pessoa?
Porque hoje, há 109 anos atrás na cidade de Parnaíba no Estado do Piauí nascia  Joana de Moraes Souza,  que mais tarde ficou conhecida por todos como Jeanete.
Se ainda estivesse fisicamente em nosso meio (ela está em espírito) essa festa seria realizada aqui em sua residência com a presença dos amigos, dos familiares e claro, também com a presença de DEUS.  Mas hoje está sendo no céu, ao lado do Deus, do esposo Joaz Rabelo de Souza, do filho Antonio José, da nora Maria do Carmo (dona Mana) dos pais Josias Benedicto e Alvina de Moraes Correia,  dos irmãos, de outros familiares,  e de amigos que já  residem no céu há muito tempo.
 Católica fervorosa, estudou sempre em colégio de freiras. Em Parnaíba estudou no Colégio Nossa Senhora das Graças (Colégio das Irmãs) onde fez o antigo Curso Primário, depois foi para   Fortaleza-CE onde cursou   o antigo Ginásio e Normal, no Colégio  das irmãs Doroteias. E foi em Fortaleza, nessa época, que lhe surgiu o cognome de Jeanete quando o Frei Marcelino de Milão ao interpretar para as alunas do colégio, o filme de Joana D’arc,  solicitou que  seguissem o exemplo de Jeanete, nome francês  de Joana. Pelo bom comportamento e conduta exemplar de Joana de Moraes Souza, suas amigas e colegas de colégio passaram a chamá-la de Jeanete.
Católica fervorosa, repito, possuidora de uma fé inabalável e temente a Deus participou de diversos movimentos católicos e sociais sempre com o objetivo de levar ao próximo uma palavra amiga, um conforto, enfim o AMOR, como no trabalho pelos enfermos assistidos pela Ala Paciente com Franciscanos Seculares “levando sua experiência de trabalho aos hansenianos, pois como voluntária foi uma das fundadoras do IGAPA – Instituição de Garantia Assistencial Parnaíba, organização não-governamental criada em 1979.”
Jeanete de Moraes Souza não apenas na religiosidade, mas também na literatura.
Escritora, poetisa, teatróloga, cronista e romancista pertenceu a Academia Parnaibana de Letras – APAL e foi a primeira ocupante da cadeira de nº 10 que tem como patrono o poeta Francisco Ayres. O atual ocupante da cadeira é o seu filho, o médico e atual prefeito de Parnaíba Francisco de Assis Moraes Souza.
Do seu casamento com Joaz Rabelo de Souza nasceram-lhe os seguintes filhos:  Maria Christina, Antonio Jose ( falecido ) , Yeda , Paulo de Tarso e Francisco de Assis ( o Mão Santa).
Neste dia 12 de julho, nós daqui da terra, seus amigos, admiradores, familiares também iremos homenagear dona Jeanete, e nossos parabéns será em forma de oração como ela sempre fez em vida, a vida que tanto amou,  tanto assim que escreveu um poema denominado AVIDA, UM HINO DE AMOR o qual considero uma das belíssimas páginas que compõem a literatura parnaibana.
Publicamos a seguir o poema MEU TESTAMENTO de autoria da nossa homenageada.
text
Antonio Gallas ocupa a cadeira de nº 35 da APAL que tem como patrono Dom Paulo Hipólito de Souza Libório

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s