20 dias de Bon Jovi #20: A sensível

li

Contemplo

Mais um lançamento da banda
Que há tempos me transporta
Para as mais variadas sensações.

Sensações que vão: da euforia a reflexão
Passando pelas mais diferentes fases e entregas:
Da loucura, do conhecimento, da paixão, do arrependimento,

Do aprendizado

Que só mesmo quem entende o significado
Da mensagem que eles oferecem
E sente, de fato, o poder das melodias, vai entender

Como eu faço

Desde os cinzentos anos 90, ainda na infância,
Quando eu descobri através de uma prima
Que nem mais escuta o grupo

Quando ela resolveu dar valor ao que a alma sente

Deixando de escutar, e me deixando um legado (de fitas, pôsteres, revistas e mais)
Então não há como reclamar (apenas agradecer, e muito)

As várias canções que, com o tempo, se tornaram amuleto precioso
Nas horas e nos anos difíceis de estúpida incompreensão

Sempre

Na busca de alcançar os meus sonhos,
Trabalhando bem mais do que a minha mente poderia conceber,
E mais ainda,
Do que meu corpo estava preparado para aguentar

No caminho que já fez com que milhares perdessem a sensibilidade,
Eu resisti!

Num ambiente onde escutar o rock que eu gostava, era motivo para ser menosprezada ou Censurada, eu acreditei!

E ainda acredito, mesmo agora,
Quando o Bon Jovi não é mais o mesmo de quando eu conheci,
Ainda insisto em acompanhar, na espera que dias melhores surjam

E se não,

Não há problema, pois sempre poderei lembrar:

De todas as conquistas molhadas de suor, no ritmo dos anseios e ao sabor dos solos de Guitarra

De todas as viagens e aventuras que vivi, e até sofri, ao som destes caras que tanto aprendi a admirar

De todas as canções que vibrei, fosse: nas ruas incertas, nos trabalhos cansativos, em casa, ou ao vivo, de frente para eles, a cantar com toda a intensidade do meu coração…

Mas, principalmente, nunca esquecerei:

De todos os amigos que encontrei nos corredores (e ringues) da vida, nos grupos e comunidades virtuais na internet…

Pessoas: divertidas, loucas, sinceras, atrevidas, mafiosas, bibas, farofeiras, carismáticas…

Extraordinárias!

Como esta canção,
Que eu dedico a vocês,
Nesta hora em que minhas humildes letras chegam ao fim:

Claucio Ciarlini (2013)

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s