Palavras e palavras…

unnamed

Acordei hoje lembrando de Romeu e Julieta. Você está pensando que me refiro a obra de William Shakespeare, o tradicional clássica da literatura? Não, não. Apesar de ser uma boa leitura que inclusive recomendo estou me referido ao docinho de queijo com goiaba, uma deliciosa guloseima que apesar de suas 250 calorias ali e acolá vale a pena saborear.

Minha mãe passou a manhã inteira falando na Maria Izabel. Pensei que era a sua sobrinha querida que estava chegando de viagem. Que nada, era a iguaria que ela estava preparando para o almoço, carne de sol com arroz, prato típico do nordeste, que é muito apreciado e servido acompanhado com farofa de banana.

Todo dia quando vinha do trabalho, por volta de meio dia, ao passar na casa da costureira Mariazinha ela estava dizendo que ia cortar a manga. E ficava a refletir que roupas eram essas que tinham tantas mangas assim. Intrigada com isso, ao escutar pela décima vez “vou cortar a manga”, resolvi entrar na casa da profissional de roupas com o pretexto de pedir um copo de água. Acredite você que a manga que ela cortava era a sobremesa do almoço, a fruta.

A Rosinha com lágrimas nos olhos me disse que não    aguentava mais o “pé de cana” que tinha na casa dela. Não entendi a tristeza da criatura porque um caldo de cana é algo muito apreciado e até citado por Alceu Valença na música Morena Tropicana. Foi então que ela explicou que estava querendo dizer que seu marido era um viciado em bebida alcoólica.

O português tem dessas coisas palavras homônimas pronunciadas da mesma forma mas com significado diferente, como o caso da manga. Tem palavras homófonas com a mesma fonética, mas que apresentam a grafia e o significado diferente. Acento o sinal gráfico que é diferente do assento, lugar para sentar, além de expressões que são usadas em sentido figurado.

Por causa dessas situações uma linda amizade quase foi destruída. A Joana foi dizer para a Claudinha que a Flávia, sua grande amiga, havia lhe chamada de fofoqueira. Isso criou uma situação constrangedora até que ela entendeu depois que a “fofoca” que ela se referia era no sentido de organizar festa, de alegar o ambiente, por ser ela uma criatura ativa, desembaraçada, curiosa e animada. Gostava de “fofoca”, isto é, animação, alegria.

Palavras e palavras. Sentidos e sentidos.   

      DO LIVRO “O QUINTO” INÉDITO
MARIA DILMA PONTE DE BRITO – APAL
CADEIRA Nº 28
PATRONO LÍVIO LOPES CASTELO BRANCO
1º OCUPANTE HUMBERTO TELES DE SOUSA   
                  

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s