MEDO

shutterstock-1071610910_ai1

             Eu não sei se existe mesmo o “bicho papão”, mas muitas crianças têm medo dele. Lembro que em certa fase de minha infância eu tinha medo de alma. Não queria ficar sozinha porque ela podia aparecer. Acreditei por muito tempo que o inferno parecia aquela panela do Caldeirão do Huck, sempre fervendo. Quente, com muito fogo e calor. Com essa imagem que era incutida na nossa cabeça quem não teria receio de morrer? Fazíamos de tudo para cumprir os dez mandamentos da lei de Deus para evitar o fogo do inferno. O Deus que pintavam era vingativo. Se não obedeceu, castigo!

        Criança sofre muito. Contam muitas histórias horrorosas para elas. Do “Lobo Mau”, da “Gata Borralheira”, da “Bruxa Malvada”. E se de noite elas não querem dormir sozinhas ninguém entende o porquê.

       Os adultos também têm suas fobias. Alguns levam o trauma da vida de criança para o resto da vida.  A sociedade moderna não fica atrás. O medo está muito presente. Hoje nos amedrontamos com o sequestro relâmpago, com os assaltos nas saídas dos bancos, medo dos hackers que aproveitam seus conhecimentos para o lado negativo e surrupiam as contas bancárias, esses são alguns exemplos de coisas que aterrorizam o homem levando até a fobia.

      Além do medo inevitável próprio do crescimento das cidades, do progresso que traz todo tipo de males, ainda estamos sujeitos a outras inquietações que só os psicólogos são capazes de decifrar: medo de água, de altura, de multidão e muitos outros.

     Mas, há de se convir que o medo do adulto é diferente do medo da criança. As crianças são destemidas, não têm noção de perigo, pulam do alto, correm, saltam e enfrentam vários tipos de riscos. Na maioria das vezes os seus temores são consequências dos traumas, talvez provocados pelos adultos: aí tem um bicho, o monstro vai te pegar. Para que tanto terrorismo nessa fase tão linda da vida se na idade adulta é inevitável conviver com o pânico da violência, da crueldade, das doenças espalhadas por esse mundo a fora?

DO LIVRO “O QUINTO” – INÉDITO
MARIA DILMA PONTE DE BRITO APAL
CADEIRA 28
PATRONO LÍVIO LOPES CASTELO BRANCO
1º OCUPANTE HUMBERTO TELES MACHADO DE SOUSA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s