Quando eu me for…

Quando eu me for… E espero que este dia demore muito… Demore bastante!

Não desejo ser lembrado pelo número de títulos ou medalhas que conquistei, mas de quantas pessoas, de uma forma ou outra, eu pude ajudar… Do quanto interagi com elas, seja no sorriso ou na emoção, no aprendizado que é a vida…
Não sonho em ser lembrado como alguém que foi perfeito ou melhor do que outra pessoa… Até porque perfeição não existe e o conceito de melhor varia para cada indivíduo ou grupo… E isso é tão básico e visível… Como alguns preferem não enxergar?

Quando eu não estiver mais por aqui (e não se entristeçam, pois minha vida é maravilhosa)…Não anseio que as pessoas proclamem meus escritos, num microfone ou alto falante… Mas que elas guardem, e sussurrem com muito carinho, dentro de seus próprios corações… Pois nunca escrevi pensando em prêmios, mas como forma de desabafo ou homenagem…

Não almejo ser lembrado (apenas) pelas vezes em que acertei ou que fui vitorioso… As minhas derrotas foram importantes, pois me fizeram enxergar o que sou… Apenas um ser humano, repleto de dúvidas, manias e imperfeições (que faz o que pode)…

Porque no fim das contas, quando o dia chegar… Tudo irá se resumir, ao quanto fomos capazes de amar.

Claucio Ciarlini (2015)

11822309_1142312239117528_8572019274556514356_n

Um comentário sobre “Quando eu me for…

  1. Seu texto representa seu espírito de humildade. Coisa que falta muito nos dias de hoje. Mas você será lembrado por muitos feitos seus. Pode ter certeza!

    Dilma.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s