Fantasia e Fuga. *Por Carvalho Filho

carvalhofilho

 

Espelho de olhos mansos

Espelho de olhos vítreos

Espelho meu

Espelho meu

Espelha a face bela

Da formosa Vênus

Espelhado

Espelhando

Esperançoso

Espelhançoso

Imagem que não pensa

Imagem que na fuga

Imita minha partida

Esperei teu afago

Mas obtive teu escárnio

Espelho

Espelho meu

Há nesse reino homem mais

Fantasioso do que eu?

Narciso e Dorian Gray

Mergulham em fantasia e fuga

Os dedos inutilizados de Schumann

Os ouvidos derrotados de Beethoven

Espelho meu

Espelho meu

Ando a imaginar teus cacos

Estilhaços de mim

Espelhar é roubar

Espelhar é poetizar

Eu fico no espelho em troca da beleza

E o homem do espelho sairá

Caminhará entre os homens

Gustave Courbet descabelado

Portinari intoxicado pelas próprias tintas

A orelha decepada de Van Gogh

Nietzsche assinando Dionísio

Dionísio assinando Nietzsche

Eu me vestindo de Van Helsing

O vampiro não reflete

Não tem o correspondente no espelho

Espelho é feitiço

Feitiço a galope

Galope rasante de Ramalho

Galope cortante

Eis-me através do espelho

Eis-me no espelho através

Eu sou ele e ele sou eu

Não tenho alternativa

Resta-me o outro lado

Olhepse

Palavra que liberta a imaginação

No instante em que aprisiona minha figura

Um verme em fuga alcança a fantasia

É o sonho tremendo ao vento

É o caos vendendo bugigangas

“É pau, é pedra…”

É o vagabundo oferecendo poesia

Enquanto o homem sério conta o vil metal

É a mão calculando a felicidade

A esperança espelhada

A espera é ânsia

A ânsia é fome

Fugacidade

Fuja da cidade enquanto pode

Fuga da cidade não é fantasia

Tenha a ferocidade da onça

Seja raposa e leão

Não te afogues na água cristalina

Não te cortes com o vidro amolado

Nem proves do reflexo tentador da faca

Espelho meu

Espelho meu

O que devo fazer com teus cacos?

Extirpar de mim o pedaço dolorido?

Mutilar meus sonhos?

Em mil pedaços admirar meu rosto

E decidir qual deles eu sou?

*Carvalho Filho: assinatura literária de Francisco das Chagas Souza Carvalho Filho. Poeta e contista, colaborador do Jornal O Piagüi Culturalista. Conta com artigos publicados na revista Desenredos e poemas na revista Mallarmargens. Participou das coletâneas Tratado Oculto do Horror (coletânea de contos), em 2016, e Carnavalhame (coletânea de crônicas e poemas) em formato e-book, 2017 e Versania (coletânea poética), 2017, já na segunda edição em 2018.

E-mail: francisco.carvalho88@hotmail.com

 

2 comentários sobre “Fantasia e Fuga. *Por Carvalho Filho

  1. Poema rico, sensacional! Há uma coisa de enigma que permeia o sonho tecido no poema; sonho que se confunde com o próprio reflexo em um espelho e no qual o reflexo é de muita poesia.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s