O amor é uma paisagem.  

 

*Ivaldo Freitas Cardozo.

trem1

A paixão se trata apenas de um amor de vagão.

São muitas paisagens, mas um só coração.

Descobri que era amor quando me contentei.

Não tomei mais nenhum rumo.

trem2

Daquele momento em diante parei.

Queria ficar num só canto

Pelo resto dos anos.

 

E agora o que vejo…

A paisagem que formamos

No dado momento que nos esbarramos.

Aquela paisagem que coloriu meu coração.

trem3

E não deixou espaço pra nenhuma outra paisagem.

Perdi o gosto em outras viagens e rumos

Pois o amor é uma paisagem eternizada

Pela vida na qual habitava.

 

 Na fila do pão.

trem4

Quem sou eu na fila do pão?

Sou aquele menino simpático

De mãos dadas com a avó.

Tão velhinha e marcante

De sorriso cativante

E ao mesmo tempo tão cheio de vida

Num inocente carisma.

trem5

A caneta era minha distração

Pra recitar o que via

Mesmo que na padaria

Onde muito se discutia

Na partilha dos versos

Em meio à correria

De atitudes nada poéticas.

trem6

Consciente de seus passos errantes.

Vovó seguia neste instante

Pensativa como antes

No dia que me contou

Como por vovô se apaixonou.

trem7

*Ivaldo Freitas Cardozo, poeta e estudante do ensino médio no Instituto Federal do Piauí, campus de Parnaíba.

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s